ENCALHE ( Descontinuado em 05.10.2013 )

agosto 6, 2013

Alckmin omite que cartel pagou propinas para assaltar o Estado


“É uma das grandes roubalheiras da história e eu não compactuo com ladrão”, considerou o deputado estadual Major Olímpio ao apoiar a CPI

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou na última segunda-feira (5), que caso seja confirmada a formação de cartel em licitações de obras do Metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) durante os últimos 20 anos, o estado pode ser considerado “vítima” do esquema.

Alckmin ignora, contudo, o principal das denúncias feitas pela multinacional alemã, Siemens, sob uma espécie de delação premiada ao Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) ser o pagamento de propinas milionárias à políticos tucanos e diretores das estatais escolhidos diretamente pelos governos do PSDB, que estão no poder no estado desde 1994.

O governador omite a denúncia feita por um ex-funcionário da Siemens ao Cade do esquema que para garantir a vitória dos contratos super-faturados em 30% das múltis Alstom, Bombardier, CAF, Siemens, TTrans e Mitsui havia o pagamento de 7,5% de propina aos tucanos durante os últimos 20 anos nas gestões de Mario Covas, Alckmin e José Serra no governo do Estado.

Segundo reportagens apresentadas pela revista IstoÉ o esquema teria faturado mais de R$ 425 milhões. Somente na Linha 5 – Lilás, a propina paga a políticos tucanos e diretores do Metrô foi de R$ 46 milhões, segundo a edição do dia 24 de junho da revista.

Tamanho o incômodo gerado pelas denúncias, de que o governo paulista tem conhecimento e participava da formação do cartel que o secretário-chefe da Casa Civil do Estado, Edson Aparecido, afirmou que “pela forma como tem se processado essa questão, nos parece muito mais que o Cade tem se transformado em um instrumento de polícia política”.

Alckmin entrou com um mandado de segurança na Justiça Federal para ter acesso a todos os dados da investigação que estão sob o poder do Cade, e afirmou ser “lamentável que o estado de São Paulo tenha que ir à Justiça para ter acesso a documentos para poder investigar”.

A justiça recusou o pedido dos tucanos e o Cade divulgou nota repudiando as declarações do governo paulista.

De acordo com o juiz da 1ª Vara Federal do DF, Gabriel José Queiroz Neto, “o Cade não negou propriamente o acesso do estado aos documentos. Na verdade, o que o Cade está fazendo é analisando a documentação, para aí sim, poder verificar o que deve ser mantido em sigilo, ou não”, destaca.

Queiroz Neto entende que a ausência de documentos do Cade não impede que o Estado de São Paulo promova suas próprias investigações. “Quando muito, os documentos poderiam apenas facilitar sua atividade. Entretanto, ao menos para esta sede liminar, não vejo a alegada urgência”.

Além dos documentos ainda estarem em analise existe a eminente possibilidade do governo do Estado ser indiciado, assim, podendo ser acusado e não ter acesso à investigação até que ela seja concluída.

O mesmo governo que pede o acesso às investigações do Cade e do Ministério Público é aquele que tenta barrar a instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na Assembléia Legislativa de São Paulo para investigar as irregularidades do caso.

Uma orientação foi dirigida aos membros da base governista na Alesp para que os deputados rejeitem a criação da CPI.

Para ser instaurada, a CPI precisa da assinatura de 32 deputados e a oposição conta com apenas 26 deputados.

“O caso é uma das grandes roubalheiras da história e eu não compactuo com ladrão”, afirmou o deputado Major Olímpio (PDT), um dos 26 que já assinaram o pedido para a instauração da CPI.

“Está mais do que escancarado que esse cartel se formou desde o governo Covas, passou por Alckmin, Serra, e Alckmin de novo”, declarou o deputado. Para Olímpio, “em qualquer país sério isso já seria motivo de impeachment e cadeia, mas aqui talvez nem consigamos instalar uma CPI, graças a manobras de bandidos integrantes dos governos, desde Covas até Alckmin”, acusou Major Olímpio.

MAÍRA CAMPOS – HORA DO POVO

ACRESCENTADO EM 09.08.2013:

PF indicia tucano Matarazzo por ter recebido propinas da Alstom – HORA DO POVO

Siemens deu gorjeta de R$ 24 milhões a apenas dois consultores paulistas, aponta Justiça alemã – HORA DO POVO

Entenda as denúncias contra o PSDB – CARTA CAPITAL

As provas do esquema vêm aí – ISTO É

Deixe um comentário »

Nenhum comentário ainda.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: