ENCALHE ( Descontinuado em 05.10.2013 )

novembro 12, 2012

Era “balão de ensaio”: Valério só pode ir – e será necessário, podes crer! – para o Programa de Proteção às Testemunhas se quiser falar sobre o “Mensalão Tucano” ( a gênese de tudo )!!

Filed under: WordPress — Tags:, , — Humberto @ 3:13 pm

Valério não pode ir para programa de proteção
Operador do mensalão exige segurança para dar mais detalhes sobre o esquema de corrupção
O Programa Federal de Assistência a Vítimas e a Testemunhas Ameaçadas, vinculado à Secretaria Nacional de Direitos Humanos, está de portas fechadas para o publicitário Marcos Valério, mesmo que ele decida colaborar com investigações de casos conexos ao processo do mensalão. Dirigentes do programa informam que a Lei 9.807 impede a entrada de pessoas condenadas no sistema de proteção [ grifos nossos ].
Valério, considerado o operador do mensalão, já foi condenado a 40 anos e seis meses de prisão no julgamento em curso no Supremo Tribunal Federal. Nas últimas semanas, surgiram rumores ( sic ) de que ele estaria disposto a colaborar mais com as investigações sobre ex-dirigentes do PT e até mesmo se submeter às regras do programa de proteção à testemunha por medo de ser assassinado.
O advogado Marcelo Leonardo nega que Valério tenha interesse no programa. Disse que o cliente não cogita essa possibilidade. Mas nada diz sobre a suposta iniciativa do cliente de fazer novas denúncias contra ex-dirigentes do PT e contra o ex-presidente Lula. A Secretaria de Direitos Humanos informou que casos de réus condenados, como ocorre com Valério, estão vedados pela legislação que originou o programa.
Para um ministro do STF, a inclusão de Valério poderia até ser discutida em relação a outros casos, não o do mensalão, em fase final de julgamento. “Há outros processos em que ele pode vir a colaborar”, disse o ministro.
O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, disse não ver motivos para oferecer proteção especial ao publicitário. Ele não teria feito nenhuma revelação que o exponha a risco de morte. O advogado de Valério, porém, disse que a expectativa de seu cliente está relacionada à redução da pena pela colaboração que teria dado no início das investigações do mensalão, em 2005, e não no programa de proteção a testemunhas. “São coisas diferentes: proteção a testemunhas e réu colaborador. Ele nunca cogitou isso (programa de proteção)”, disse o advogado Marcelo Leonardo.
O programa de proteção a testemunhas às vezes parece atraente para testemunhas sob investigação, mas nem sempre os interessados se ajustam às normas do serviço, entre elas não dar entrevistas ou aparecer em público. ( DSP )

Anúncios

Deixe um comentário »

Nenhum comentário ainda.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: