ENCALHE ( Descontinuado em 05.10.2013 )

setembro 24, 2012

Carta aberta ao meu caro amigo Ricardo Noblat, Por Leonardo Attuch


Se você tem as fitas de Marcos Valério, apresente. O que não dá para aceitar é uma intimidação ancorada em gravações supostamente existentes. Isso, todo mundo sabe, não é jornalismo. É política, pura e simplesmente.

Leonardo Attuch _247 – Ricardo Noblat foi meu primeiro chefe no jornalismo, quando comecei a trabalhar como repórter, no Correio Braziliense, há quase vinte anos.
Guardo dele uma ótima imagem. É um dos poucos jornalistas que, em cargos de chefia, continuou a ser, essencialmente, um repórter, enquanto seus pares se transformavam em burocratas de redação ou em capatazes dos patrões.
Noblat é, foi e sempre será jornalista. No Correio, promoveu uma pequena revolução que, infelizmente, foi breve. Numa de suas grandes passagens, soube corrigir um erro na primeira página – o que lhe valeu o Prêmio Esso.
Por tudo isso, Noblat merece o nosso respeito.
Como pioneiro do jornalismo político na internet, merece ainda mais.
Desde o início do 247, reproduzimos suas análises e ele, ocasionalmente, também reproduz alguns de nossos artigos. Faz parte do jogo natural de intercâmbio de ideias e de notícias na internet.
Noblat é mais do que um simples jornalista. É um personagem da política brasiliense.
Dias atrás, no entanto, ele decidiu nos criticar no Twitter, ao dizer que estaríamos confundindo torcida com jornalismo, simplesmente porque insistimos em dizer que Veja não tem nenhuma fita gravada com Marcos Valério.
Afinal, para quem conhece as engrenagens da máquina jornalística, basta fazer a pergunta: qual é a força política ou econômica, hoje, de Marcos Valério para fazer qualquer tipo de barganha com seus supostos entrevistadores? ( Aliás, Noblat, se você tem as fitas de Marcos Valério, apresente. O que não dá para aceitar é uma intimidação ancorada em gravações supostamente existentes )
O quadro, na verdade, é ainda mais grave. Se Veja tem gravações, e não as apresenta, comporta-se apenas como instrumento de intimidação e chantagem [ 1 ] ( ou de Valério ou dos donos da Abril ). E também não é isso que se espera de uma semanal.
Noblat, que é também um jornalista 24/7, trabalhando 24 horas por dia, sete dias por semana, sabe que não somos petistas [ 2 ]. Ainda assim, brinca com uma piadinha numerológica que corre na internet (2+4+7=13).
Noblat, a inspiração não foi o PT. Digamos que foi o Zagalo. E, lamento dizer, mas vocês vão ter que nos engolir. Aqui, o espaço é democrático nos artigos, na opinião e também na análise dos movimentos políticos dos jornalistas. Especialmente dos jornalísticas políticos, como você.
Receba o nosso afetuoso abraço.

NOTAS DO BLOG:

[ 1 ] A revista Veja é reconhecidamente dada a chantagens. Um dos casos mais recentes e famosos é este: Veja nega autoria de dossiê contra juiz do caso Cachoeira feito por seu redator-chefe; Em 1999, em discurso no Senado Federal, o então senador peemedebista Roberto Requião ( PR ) denunciou a revista de usar um processo não-público aberto pelo governo do Estado contra o banco Bamerindus para chantagear o banqueiro Andrade Vieira e “vender-lhe” páginas de propaganda na revista. E tem este caso aqui também: Ex-governador Hélio Gueiros: ‘Veja quis me chantagear’

[ 2 ] Não são mesmo!

Anúncios

Deixe um comentário »

Nenhum comentário ainda.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: