ENCALHE ( Descontinuado em 05.10.2013 )

maio 6, 2011

Número de latrocínios registrados em SP é maior do que o divulgado oficialmente pelo governo do estado

Filed under: WordPress — Tags:, , — Humberto @ 6:54 pm

Os dados sobre crimes de latrocínio na cidade de São Paulo apresentados pela Secretaria da Segurança Pública (SSP) do Estado de São Paulo no primeiro trimestre de 2011 foram menores do que os constatados nos registros de delegacias do município.
Segundo a SSP, ocorreram 22 “roubos seguidos de morte” na capital no 1º trimestre, contra 25 no 1º trimestre do ano passado. O que seria uma redução de 12% em relação ao mesmo período do ano passado. Entretanto, reportagem do “Jornal da Tarde”, apurou que uma série de crimes ficaram de fora da contabilidade oficial.
O “JT” verificou 25 casos de latrocínio no mesmo período compreendido pela estatística oficial. Outra reportagem, dessa vez da “Folha de S. Paulo”, registrou 29 casos. De acordo com os jornais, dos latrocínios que não foram contados, a maior parte foi registrada apenas como “roubo”.
Os dados da SSP estão sob suspeição desde que a Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (Adpesp) revelou a manipulação na estatística. Em agosto do ano passado, durante a gestão de Alberto Goldman (PSDB), o governo do Estado anunciava uma diminuição nos índices de homicídio.
Na época, a Adpesp afirmou que “para a redução do número de homicídios em São Paulo, boletins tem sido lavrados como ‘morte suspeita’ ou ‘lesão corporal seguida de morte’, mascarando os números da estatística criminal”.
Certamente quem mora em São Paulo não percebeu a tal “redução na criminalidade” indicada na estatística governamental. E, não fosse suficiente a manipulação, na quarta-feira, em artigo, Marilda Pansonato Pinheiro, presidente da Adpesp, denunciou a usurpação dos investimentos na investigação dos crimes, feita pelo governo na Polícia Civil entre 2005 e 2010.
Nos últimos seis anos, “a Polícia Civil teve de se conformar em receber 13% a menos (equivalente a R$ 65 milhões em investimentos), segundo dados do sistema orçamentário fornecidos pela liderança do PT na Assembleia”, diz a delegada no artigo.
“A fatia menor do orçamento, destinado à Civil, representa claramente a atual falta de tecnologia, de pessoal, de viaturas, de prédios próprios — já que a maioria é alugada ou emprestada por prefeituras — e de investimento em inteligência policial. Este último sendo o mais grave de todos, já que a atribuição de investigar, de elucidar crimes, é da Polícia Civil”, argumenta.
Marilda Pansonato chama atenção também para os delegados de Polícia de São Paulo, que “têm uma das piores remunerações do país. Atrás de estados carentes como Piauí, Maranhão e Ceará”.
( HORA DO POVO, 06/05/2011 )

Deixe um comentário »

Nenhum comentário ainda.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: