ENCALHE ( Descontinuado em 05.10.2013 )

fevereiro 16, 2011

Paulo Nogueira Batista Jr. diz que diferença entre juro interno e externo é uma praga para o país


“Nós temos um diferencial de juros, uma diferença de juros brasileiros dos países centrais, brutal, que aumentou agora com a decisão do Copom. Essa diferença torna o carry trade, a especulação com o real, altamente atraente”, disse Paulo Nogueira Batista Jr., diretor executivo do FMI, alertando para a guerra comercial e clamando pela defesa do país contra a invasão de capitais estrangeiros. O economista advertiu que se o BC continuar subindo os juros “vai atrair capital até da Lua”.
Diferencial de juros é brutal para o Brasil, diz Nogueira Batista Jr.
Em entrevista à TV Senado [ assista aqui ], no dia 14 de fevereiro, o diretor-executivo do Fundo Monetário Internacional, Paulo Nogueira Batista Jr, representante do Brasil e mais 8 países da América Latina no Fundo, afirmou que o Brasil está muito preocupado com sua economia e com setores da indústria que são atingidos com a valorização cambial e com a repercussão nas contas externas.
Segundo ele, existe uma guerra cambial provocada pelo comportamento de algumas grandes economias, de países centrais, como os EUA, que em recessão inundaram o mundo com 600 bilhões dólares. “Estão apelando, fazendo coisa do arco da velha para reativar a economia, tanto do ponto de vista monetário quanto fiscal”, disse.
Nogueira Batista destacou que uma das razões principais da invasão de capitais estrangeiros no país, fazendo com que o dólar que já vem derretendo no mundo, derreta ainda mais no Brasil, e o real se valorize mundo além das expectativas dos exportadores e dos industriais em geral, conforme destacou o jornalista Helival Rios, “é o diferencial de juros”. “A diferença do juro brasileiro e os juros dos países centrais é brutal, que aumentou agora com essa decisão do Copom. Esse diferencial torna o carry trade, a especulação com o Real, altamente atraente”.
“A bateria de medidas que a Fazenda e o Banco Central tomaram no final do ano passado e início desse ano, conseguiu-se estabilizar o dólar, em torno de 1,70, um pouco menos, mas não resolveu o problema”, disse. “O que o Brasil está fazendo é criar desincentivos à tomada de empréstimos no exterior, à entrada de capitais externos, na expectativa de que isso contenha a desvalorização. Mas, se o Banco Central anuncia o aumento da taxa de juro e que vai continuar aumentando…”.
Além da redução dos juros, Nogueira Batista defende medidas contra a guerra comercial, como o controle da entrada de capitais, medidas anti-dumping e a compensação de subsídios. “Temos que intensificar o esforço de defesa de nossa economia contra essas invasões”, ressaltou.
Para o economista, “aumentar meio, mais meio, mais meio…, vai levar o Brasil a atrair capital até da Lua, uma taxa de juro completamente discrepante do que a gente vê no resto do mundo”.
( HORA DO POVO, 16/02/2011 )

Anúncios

Deixe um comentário »

Nenhum comentário ainda.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: