ENCALHE ( Descontinuado em 05.10.2013 )

agosto 25, 2006

Soninha responde

Filed under: WordPress — Humberto @ 1:16 am

Como não acho correto ficar assacando inverdades e aleivosias sem que o caluniado tenha direito a defesa, enviei cópia do post “Nota de Falecimento” à vereadora Soninha Francine, que respondeu prontamente. CTRL-C, CTRL-V, segue abaixo a resposta da edil (qual é o feminino de edil????):

Vinicius, você não sabe como isso torna as coisas mais difícies…
Eu me candidatei pra Câmara querendo trabalhar 4 anos aqui — e só. Sem idéia de “carreira política”. Aliás, NUNCA pensei em trabalho nenhum meu como um passo dentro de uma “carreira”. Cada trabalho tem um fim em si. Entrei na MTV como assistente de produção, sem maiores pretensões em televisão (na verdade, queria fazer cinema), mas fui mudando de função lá dentro, inventando umas modas, e fiquei dez anos. Minhas filhas, com tendências esquisitas na época (acontece…), faziam cara feia: “Por que você não trabalha na Globo?”. Eu sempre achei uma bobagem essa ambição. Tanto que, anos depois, eu já estava na ESPN-Brasil, me convidaram pra trabalhar na Globo. O convite era muito legal, mas achei melhor não aceitar. Quem garantia que eu ia ter total liberdade para dizer e fazer o que eu realmente acredito — ou que eu não seria obrigada a dizer alguma coisa em que não acredito??? Além disso, eu estava totalmente feliz na ESPN; por que sair de lá?
Toda essa história para dizer o seguinte: não estou saindo candidata a deputada por conta de alguma ambição pessoal, vaidade, sei lá o que. Alguma coisa que ponham na água da Câmara. E, vou ser muito sincera com você, também tenho certeza que não é essa a idéia do Serra, e acho um pouco ridícula a campanha do PT criticando a “quebra de compromisso”. Porque eu também acho que o Serra deveria ter concluído seu mandato — e um mandato Executivo tem coisas a “concluir” do que um Legislativo, que não deixa exatamente obras inacabadas, entende o que eu quero dizer? E acho principalmente que ao Kassab não deveria ser o prefeito deste monstro que é São Paulo. Mas eu tenho certeza absoluta que não deu “um golpe” nos eleitores, se candidatando a prefeito mas já pensando em sair no meio (senão teria escolhido um vice mais palatável, pra começar…).
O Mercadante também está se oferecendo para trocar 4 anos de Senado por 4 como governador. Ele está abandonando o eleitor? Não, ele está se propondo a ser um servidor público em outra função, é isso.
E vou te dizer uma coisa sobre a minha atuação como vereadora: dá pra fazer um pouco mais do que eu fiz aqui, mas o preço que se paga por isso não vale a pena. Ou seja: o problema, juro, não é “falta de experiência”; é se recusar a “aprender” algumas coisas. E descobrir que a gente pode ser mais útil abrindo mão de um projeto, do que fazendo determinados acordos para aprová-lo. Ou inviabilizando a aprovação de um projeto absurdo; ou garantindo a manutenção de alguma coisa legal que estava ameaçada de extinção. Ou seja: jogando menos de centro-avante e mais de zagueiro.
De todo modo, o limite de atuação aqui é menor do que na Câmara Federal, é óbvio. Porque tem questões HIPER importantes para qualquer cidadão de São Paulo que só são decididas em Brasília. Porque a própria Câmara Municipal teria de sofrer algumas mudanças no seu modo de funcionar, e talvez a reforma política ajude a resolver…
Acho incrível pensar que, ao ser deputada, eu estaria abandonando ou deixando órfãos os eleitores. Como se eu estivesse indo pra Disney. Como se, assim como Tevez, eu dissesse: “cansei de vocês; vou fazer outra coisa melhor onde sou mais feliz”. Catzo, eu tô indo pro lugar mais quente do inferno (aqui já é), me metendo outra vez em campanha eleitoral (é um saco, um cansaço IMENSO), bagunçando minha vida pessoal mais ainda, e você acha que eu estou dando um golpe pra me dar bem? Sacanagem!
Olha, as questões nacionais vão continuar existindo e eu podia pensar em terminar este mandato, passar dois anos cuidando da vida e me candidatar em 2010. Mas é o seguinte: tá uma merda AGORA. As perspectivas são sombrias AGORA. Como assim, “não, vou ficar aqui, terminar meu mandato de vereadora, deixa o Congresso lá e depois, se der, eu tento entrar”? Tem de tentar tomar assento naquele negócio imediatamente, pra ajudar a virar a roda um pouco mais na direção que a gente acredita!
Também não é um golpe do PT pra puxar voto — até porque minha campanha é meio esquisita para os padrões tradicionais e a direção do partido nunca conta muito com meus votos, sério mesmo. Gente com muita experiência em eleições chutava que eu não ia passar de 15 mil na última… Quem, no PT, quis que eu fosse candidata é a turma que ainda quer ser do PT mas está indignado com várias condutas de petistas… Quem, mesmo descontando exageros, injustiças e perseguições de praxe, acha que “a gente” fez muita merda (entre aspas, porque eu e muitos outros não fizemos absolutamente nada de condenável) e que temos de puxar o rumo do próprio partido também pro caminho certo. Quem acha que a bancada do PT na Câmara ainda tem muita gente de respeito e essa turma precisa de reforços.
Enfim, estou oferecendo o seguinte para o eleitor: troco dois anos em que eu ficaria discutindo legislação municipal e fiscalizando a administração municipal por quatro anos discutindo leis e questões nacionais e fiscalizando o governo federal. Abandono?? Só do restinho de sossego que eu tinha, se é que tinha.
É um soco no estômago ver alguém que acha que eu sou uma boa parlamentar (ou razoável, vá lá) fazendo campanha contra a idéia de que eu seja parlamentar em Brasília. Mas, fazer o que? Se me elegerem, eu vou pra lá. Se não, vou ficar como quase todo mundo, amaldiçoando o Congresso de longe, e torcendo para os (poucos?) abnegados que estão lá conseguirem um pouco mais de espaço e poder.
Pra mim, ser candidata é um esforço descomunal (vivo exausta e deprimida, quando não morrendo de raiva) que é a maneira que eu escolhi, depois de muita indecisão, para NÃO ME CURVAR À POLÍTICA NOJENTA, não jogar a toalha, terminar meu mandato e voltar logo pra casa…
Enfim, obrigada por ler até aqui e por me mandar seu post, que talvez eu não tivesse lido de outro jeito…
Abração,
Soninha”

De minha parte, devo elogiar o comportamento da parlamentar em responder a este humilde taxista. Trepliquei, ela também respondeu. Ainda estou analisando.

2 Comentários »

  1. Vinicius, aqui é o Fernando, trabalho na Campanha da Soninha.

    Publicamos sua mensagem em nosso site, respeitando a integridade de seu texto.

    Isso porque sua dúvida é a dúvida de muita gente, e a melhor forma de fazer um debate democrático é manter as críticas como elas foram feitas.

    Embora tenaz e contundente, sua mensagem foi educada e contém argumentos interessantes.

    Desse modo, a mantivemos na íntegra.

    Tudo bem?

    Um abraço

    Fernando Gouveia

    Ah! O link da notícia é esse

    http://www.soninha.com.br/pivot/entry.php?id=947

    (há outras mensagens lá também)

    Comentário por Fernando Gouveia — setembro 4, 2006 @ 5:25 pm

  2. tudo bem, manda…

    Comentário por Vinicius Duarte — setembro 10, 2006 @ 1:24 am


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: