ENCALHE ( Descontinuado em 05.10.2013 )

abril 19, 2009

QUADRINHOS ( 1 ): BELÍSSMO "A VIDA DE JESUS", OBRA EXCELENTE DE EUGÊNIO COLONNESE, NAS BANCAS!

Filed under: Eugênio Colonnese, Jesus Cristo, Mythos Editora, quadrinhos ( HQ ) — Humberto @ 1:40 am
- “A Vida de Jesus em Quadrinhos” (Editora Mythos,192 págs., R$ 9,90) – Esta edição também tem o nome auto-explicativo, mas o que mais chama a atenção é o nome de seu autor: Eugênio Colonnese. A edição conta com a arte de Eugênio e com roteiros de Osvaldo Talo. [ Comentário retirado do site RADIOATIVO: http://radioativoblog.blogspot.com/2009/04/mythos-lanca-classicos-dos-quadrinhos.html ]

E aqui vai o pitaco DESTE blog que você está lendo: Eugênio Colonnese é considerado pelos bambas do ramo como sendo um dos maiores desenhistas de quadrinhos deste ingrato país. Um de suas criações, talvez vocês lembrem, foi a mulher vampira MIRZA. Ele também fez muitas histórias de terror, tipo aquelas que foram publicadas pela Bloch: Cripta, e outras que [ os adultos da minha casa ] não me deixavam ler, mas eu lia mesmo assim ( pirralho maleducado… ). Este trabalho, “A vida de Jesus”, contém o básico, que todos conhecemos, desde o aviso da gravidez da irmã de Maria, Izabel ( mãe de João ), até a Ressureição do Filho de Deus. Tudo em simples e forte branco-e-preto, no estilo das histórias da Bonelli e do próprio Colonnese. Lindo mesmo.

Aliás, quer saber? Eu descolei um texto sobre Colonnese, no site da revista especializada Wizmania, e vou copiá-lo aqui. Uma homenagem singela, que merece a reprodução, tanto por ser sobre o tema “Colonnese”, como por ser um texto bacana, que foi publicado na revista ( seja esperto e corra até a banca, pois a edição em que esse texto saiu, com acréscimos que não figuram aqui – por exemplo, a opinião de desenhistas/ quadrinistas, como Maurício de Souza – foi relançada ).

Morre o mestre Eugênio Colonnese
08/08/2008
Por Raphael Fernandes

Nessa manhã, 8 de agosto, morreu o mestre dos quadrinhos brasileiros Eugênio Colonnese. A notícia foi confirmada pelo jornalista e quadrinhista Franco de Rosa, que foi o editor de Mirza, a Mulher-Vampiro (Mythos Editora), o último trabalho publicado de Colonnese.
Só nos resta agradecer ao mestre por tudo que ele fez aos quadrinhos e por ter alegrado a vida de tantas pessoas com o seu trabalho durante todos esses anos. Enviamos também nossos sentimentos aos amigos e familiares de Colonnese.
Na próxima edição da Wizmania, nós faremos uma homenagem a Eugênio Colonnese e contaremos um pouco da trajetória de um dos maiores mestres dos quadrinhos nacionais.
Segue abaixo duas notas, uma escrita por Franco de Rosa, editor da última edição de Colonnese, e a outra por Helcio de Carvalho, diretor da Mythos Editora que foi responsável pela publicação.

Franco de Rosa -Editor
“Morreu nessa madrugada, às 4 horas, o desenhista Eugênio Colonnese, que completaria 79 anos no próximo dia 3 de setembro. O motivo de sua morte foi “falência múltipla de órgãos”.
Colonnese sofreu um desmaio em fevereiro deste ano, quando passava férias com a família de sua filha Liliana, no Guarujá, no litoral paulista. Descobriu-se, então, que ele estava com o pulmão muito debilitado, devido ao intenso consumo de cigarros.
O autor deixa as filhas Liliana, Mônica, Sandra, Valéria e Shane. E os netos René e Graziella.
Após a sua primeira internação hospitalar em fevereiro deste ano, Colonnese realizou uma história em quadrinhos com sua personagem mais conhecida, a vampira Mirza, e outra do Morto do Pântano. Também concluiu a graphic novel A Vida de Chico Xavier, que será lançada em outubro (a editora ainda não foi divulgada).
Nós, da Opera Graphica, que atuamos com muita regularidade nesses últimos anos ao lado desse grande mestre dos quadrinhos brasileiros, com imenso pesar noticiamos tal fato.
O corpo de Colonnese será enterrado no Cemitério da Saudade, em Vila Assunção, no Centro de Santo André/SP, às 10 horas da manhã de sábado, 9 de agosto.”

Helcio de Carvalho – Editor
“Conheci os trabalhos de Eugênio Colonnese quando tinha 7 anos de idade e meu sonho maior era ser desenhista de quadrinhos – meu pai, na época gerente da Gráfica Bentivegna, me levava até o estúdio de arte de Antônio Duarte, que prestava serviços para a gráfica, e lá eu passava o dia estudando desenho com os trabalhos de Colonnese, Ailton Thomaz, Igayara, Jayme Cortez e tantos outros grandes mestres do quadrinho brasileiro.
Tive um primeiro contato pessoal com o artista quando fui trabalhar na Editora Abril. Emocionado por estar diante de um dos ídolos de minha infância, fiz questão de cumprimentá-lo e dizer que ele havia sido um dos responsáveis pela paixão que até hoje sinto por tudo o que diz respeito à nona arte.
Há pouco tempo, tive a felicidade de poder lançar, pela Mythos Editora, uma edição especial de Mirza, sua mais famosa personagem.
Eugênio Colonnese foi se unir a outros grandes artistas brasileiros que já partiram deste mundo, e assim como eles, também se tornou imortal pela força de sua obra.”

QUADRINHOS ( 1 ): BELÍSSMO "A VIDA DE JESUS", OBRA EXCELENTE DE EUGÊNIO COLONNESE, NAS BANCAS!

Filed under: Eugênio Colonnese, Jesus Cristo, Mythos Editora, quadrinhos ( HQ ) — Humberto @ 1:40 am
- “A Vida de Jesus em Quadrinhos” (Editora Mythos,192 págs., R$ 9,90) – Esta edição também tem o nome auto-explicativo, mas o que mais chama a atenção é o nome de seu autor: Eugênio Colonnese. A edição conta com a arte de Eugênio e com roteiros de Osvaldo Talo. [ Comentário retirado do site RADIOATIVO: http://radioativoblog.blogspot.com/2009/04/mythos-lanca-classicos-dos-quadrinhos.html ]

E aqui vai o pitaco DESTE blog que você está lendo: Eugênio Colonnese é considerado pelos bambas do ramo como sendo um dos maiores desenhistas de quadrinhos deste ingrato país. Um de suas criações, talvez vocês lembrem, foi a mulher vampira MIRZA. Ele também fez muitas histórias de terror, tipo aquelas que foram publicadas pela Bloch: Cripta, e outras que [ os adultos da minha casa ] não me deixavam ler, mas eu lia mesmo assim ( pirralho maleducado… ). Este trabalho, “A vida de Jesus”, contém o básico, que todos conhecemos, desde o aviso da gravidez da irmã de Maria, Izabel ( mãe de João ), até a Ressureição do Filho de Deus. Tudo em simples e forte branco-e-preto, no estilo das histórias da Bonelli e do próprio Colonnese. Lindo mesmo.

Aliás, quer saber? Eu descolei um texto sobre Colonnese, no site da revista especializada Wizmania, e vou copiá-lo aqui. Uma homenagem singela, que merece a reprodução, tanto por ser sobre o tema “Colonnese”, como por ser um texto bacana, que foi publicado na revista ( seja esperto e corra até a banca, pois a edição em que esse texto saiu, com acréscimos que não figuram aqui – por exemplo, a opinião de desenhistas/ quadrinistas, como Maurício de Souza – foi relançada ).

Morre o mestre Eugênio Colonnese
08/08/2008
Por Raphael Fernandes

Nessa manhã, 8 de agosto, morreu o mestre dos quadrinhos brasileiros Eugênio Colonnese. A notícia foi confirmada pelo jornalista e quadrinhista Franco de Rosa, que foi o editor de Mirza, a Mulher-Vampiro (Mythos Editora), o último trabalho publicado de Colonnese.
Só nos resta agradecer ao mestre por tudo que ele fez aos quadrinhos e por ter alegrado a vida de tantas pessoas com o seu trabalho durante todos esses anos. Enviamos também nossos sentimentos aos amigos e familiares de Colonnese.
Na próxima edição da Wizmania, nós faremos uma homenagem a Eugênio Colonnese e contaremos um pouco da trajetória de um dos maiores mestres dos quadrinhos nacionais.
Segue abaixo duas notas, uma escrita por Franco de Rosa, editor da última edição de Colonnese, e a outra por Helcio de Carvalho, diretor da Mythos Editora que foi responsável pela publicação.

Franco de Rosa -Editor
“Morreu nessa madrugada, às 4 horas, o desenhista Eugênio Colonnese, que completaria 79 anos no próximo dia 3 de setembro. O motivo de sua morte foi “falência múltipla de órgãos”.
Colonnese sofreu um desmaio em fevereiro deste ano, quando passava férias com a família de sua filha Liliana, no Guarujá, no litoral paulista. Descobriu-se, então, que ele estava com o pulmão muito debilitado, devido ao intenso consumo de cigarros.
O autor deixa as filhas Liliana, Mônica, Sandra, Valéria e Shane. E os netos René e Graziella.
Após a sua primeira internação hospitalar em fevereiro deste ano, Colonnese realizou uma história em quadrinhos com sua personagem mais conhecida, a vampira Mirza, e outra do Morto do Pântano. Também concluiu a graphic novel A Vida de Chico Xavier, que será lançada em outubro (a editora ainda não foi divulgada).
Nós, da Opera Graphica, que atuamos com muita regularidade nesses últimos anos ao lado desse grande mestre dos quadrinhos brasileiros, com imenso pesar noticiamos tal fato.
O corpo de Colonnese será enterrado no Cemitério da Saudade, em Vila Assunção, no Centro de Santo André/SP, às 10 horas da manhã de sábado, 9 de agosto.”

Helcio de Carvalho – Editor
“Conheci os trabalhos de Eugênio Colonnese quando tinha 7 anos de idade e meu sonho maior era ser desenhista de quadrinhos – meu pai, na época gerente da Gráfica Bentivegna, me levava até o estúdio de arte de Antônio Duarte, que prestava serviços para a gráfica, e lá eu passava o dia estudando desenho com os trabalhos de Colonnese, Ailton Thomaz, Igayara, Jayme Cortez e tantos outros grandes mestres do quadrinho brasileiro.
Tive um primeiro contato pessoal com o artista quando fui trabalhar na Editora Abril. Emocionado por estar diante de um dos ídolos de minha infância, fiz questão de cumprimentá-lo e dizer que ele havia sido um dos responsáveis pela paixão que até hoje sinto por tudo o que diz respeito à nona arte.
Há pouco tempo, tive a felicidade de poder lançar, pela Mythos Editora, uma edição especial de Mirza, sua mais famosa personagem.
Eugênio Colonnese foi se unir a outros grandes artistas brasileiros que já partiram deste mundo, e assim como eles, também se tornou imortal pela força de sua obra.”

QUADRINHOS ( 1 ): BELÍSSMO "A VIDA DE JESUS", OBRA EXCELENTE DE EUGÊNIO COLONNESE, NAS BANCAS!

Filed under: Eugênio Colonnese, Jesus Cristo, Mythos Editora, quadrinhos ( HQ ) — Humberto @ 1:40 am
- “A Vida de Jesus em Quadrinhos” (Editora Mythos,192 págs., R$ 9,90) – Esta edição também tem o nome auto-explicativo, mas o que mais chama a atenção é o nome de seu autor: Eugênio Colonnese. A edição conta com a arte de Eugênio e com roteiros de Osvaldo Talo. [ Comentário retirado do site RADIOATIVO: http://radioativoblog.blogspot.com/2009/04/mythos-lanca-classicos-dos-quadrinhos.html ]

E aqui vai o pitaco DESTE blog que você está lendo: Eugênio Colonnese é considerado pelos bambas do ramo como sendo um dos maiores desenhistas de quadrinhos deste ingrato país. Um de suas criações, talvez vocês lembrem, foi a mulher vampira MIRZA. Ele também fez muitas histórias de terror, tipo aquelas que foram publicadas pela Bloch: Cripta, e outras que [ os adultos da minha casa ] não me deixavam ler, mas eu lia mesmo assim ( pirralho maleducado… ). Este trabalho, “A vida de Jesus”, contém o básico, que todos conhecemos, desde o aviso da gravidez da irmã de Maria, Izabel ( mãe de João ), até a Ressureição do Filho de Deus. Tudo em simples e forte branco-e-preto, no estilo das histórias da Bonelli e do próprio Colonnese. Lindo mesmo.

Aliás, quer saber? Eu descolei um texto sobre Colonnese, no site da revista especializada Wizmania, e vou copiá-lo aqui. Uma homenagem singela, que merece a reprodução, tanto por ser sobre o tema “Colonnese”, como por ser um texto bacana, que foi publicado na revista ( seja esperto e corra até a banca, pois a edição em que esse texto saiu, com acréscimos que não figuram aqui – por exemplo, a opinião de desenhistas/ quadrinistas, como Maurício de Souza – foi relançada ).

Morre o mestre Eugênio Colonnese
08/08/2008
Por Raphael Fernandes

Nessa manhã, 8 de agosto, morreu o mestre dos quadrinhos brasileiros Eugênio Colonnese. A notícia foi confirmada pelo jornalista e quadrinhista Franco de Rosa, que foi o editor de Mirza, a Mulher-Vampiro (Mythos Editora), o último trabalho publicado de Colonnese.
Só nos resta agradecer ao mestre por tudo que ele fez aos quadrinhos e por ter alegrado a vida de tantas pessoas com o seu trabalho durante todos esses anos. Enviamos também nossos sentimentos aos amigos e familiares de Colonnese.
Na próxima edição da Wizmania, nós faremos uma homenagem a Eugênio Colonnese e contaremos um pouco da trajetória de um dos maiores mestres dos quadrinhos nacionais.
Segue abaixo duas notas, uma escrita por Franco de Rosa, editor da última edição de Colonnese, e a outra por Helcio de Carvalho, diretor da Mythos Editora que foi responsável pela publicação.

Franco de Rosa -Editor
“Morreu nessa madrugada, às 4 horas, o desenhista Eugênio Colonnese, que completaria 79 anos no próximo dia 3 de setembro. O motivo de sua morte foi “falência múltipla de órgãos”.
Colonnese sofreu um desmaio em fevereiro deste ano, quando passava férias com a família de sua filha Liliana, no Guarujá, no litoral paulista. Descobriu-se, então, que ele estava com o pulmão muito debilitado, devido ao intenso consumo de cigarros.
O autor deixa as filhas Liliana, Mônica, Sandra, Valéria e Shane. E os netos René e Graziella.
Após a sua primeira internação hospitalar em fevereiro deste ano, Colonnese realizou uma história em quadrinhos com sua personagem mais conhecida, a vampira Mirza, e outra do Morto do Pântano. Também concluiu a graphic novel A Vida de Chico Xavier, que será lançada em outubro (a editora ainda não foi divulgada).
Nós, da Opera Graphica, que atuamos com muita regularidade nesses últimos anos ao lado desse grande mestre dos quadrinhos brasileiros, com imenso pesar noticiamos tal fato.
O corpo de Colonnese será enterrado no Cemitério da Saudade, em Vila Assunção, no Centro de Santo André/SP, às 10 horas da manhã de sábado, 9 de agosto.”

Helcio de Carvalho – Editor
“Conheci os trabalhos de Eugênio Colonnese quando tinha 7 anos de idade e meu sonho maior era ser desenhista de quadrinhos – meu pai, na época gerente da Gráfica Bentivegna, me levava até o estúdio de arte de Antônio Duarte, que prestava serviços para a gráfica, e lá eu passava o dia estudando desenho com os trabalhos de Colonnese, Ailton Thomaz, Igayara, Jayme Cortez e tantos outros grandes mestres do quadrinho brasileiro.
Tive um primeiro contato pessoal com o artista quando fui trabalhar na Editora Abril. Emocionado por estar diante de um dos ídolos de minha infância, fiz questão de cumprimentá-lo e dizer que ele havia sido um dos responsáveis pela paixão que até hoje sinto por tudo o que diz respeito à nona arte.
Há pouco tempo, tive a felicidade de poder lançar, pela Mythos Editora, uma edição especial de Mirza, sua mais famosa personagem.
Eugênio Colonnese foi se unir a outros grandes artistas brasileiros que já partiram deste mundo, e assim como eles, também se tornou imortal pela força de sua obra.”

QUADRINHOS ( 1 ): BELÍSSMO "A VIDA DE JESUS", OBRA EXCELENTE DE EUGÊNIO COLONNESE, NAS BANCAS!

Filed under: Eugênio Colonnese, Jesus Cristo, Mythos Editora, quadrinhos ( HQ ) — Humberto @ 1:40 am
- “A Vida de Jesus em Quadrinhos” (Editora Mythos,192 págs., R$ 9,90) – Esta edição também tem o nome auto-explicativo, mas o que mais chama a atenção é o nome de seu autor: Eugênio Colonnese. A edição conta com a arte de Eugênio e com roteiros de Osvaldo Talo. [ Comentário retirado do site RADIOATIVO: http://radioativoblog.blogspot.com/2009/04/mythos-lanca-classicos-dos-quadrinhos.html ]

E aqui vai o pitaco DESTE blog que você está lendo: Eugênio Colonnese é considerado pelos bambas do ramo como sendo um dos maiores desenhistas de quadrinhos deste ingrato país. Um de suas criações, talvez vocês lembrem, foi a mulher vampira MIRZA. Ele também fez muitas histórias de terror, tipo aquelas que foram publicadas pela Bloch: Cripta, e outras que [ os adultos da minha casa ] não me deixavam ler, mas eu lia mesmo assim ( pirralho maleducado… ). Este trabalho, “A vida de Jesus”, contém o básico, que todos conhecemos, desde o aviso da gravidez da irmã de Maria, Izabel ( mãe de João ), até a Ressureição do Filho de Deus. Tudo em simples e forte branco-e-preto, no estilo das histórias da Bonelli e do próprio Colonnese. Lindo mesmo.

Aliás, quer saber? Eu descolei um texto sobre Colonnese, no site da revista especializada Wizmania, e vou copiá-lo aqui. Uma homenagem singela, que merece a reprodução, tanto por ser sobre o tema “Colonnese”, como por ser um texto bacana, que foi publicado na revista ( seja esperto e corra até a banca, pois a edição em que esse texto saiu, com acréscimos que não figuram aqui – por exemplo, a opinião de desenhistas/ quadrinistas, como Maurício de Souza – foi relançada ).

Morre o mestre Eugênio Colonnese
08/08/2008
Por Raphael Fernandes

Nessa manhã, 8 de agosto, morreu o mestre dos quadrinhos brasileiros Eugênio Colonnese. A notícia foi confirmada pelo jornalista e quadrinhista Franco de Rosa, que foi o editor de Mirza, a Mulher-Vampiro (Mythos Editora), o último trabalho publicado de Colonnese.
Só nos resta agradecer ao mestre por tudo que ele fez aos quadrinhos e por ter alegrado a vida de tantas pessoas com o seu trabalho durante todos esses anos. Enviamos também nossos sentimentos aos amigos e familiares de Colonnese.
Na próxima edição da Wizmania, nós faremos uma homenagem a Eugênio Colonnese e contaremos um pouco da trajetória de um dos maiores mestres dos quadrinhos nacionais.
Segue abaixo duas notas, uma escrita por Franco de Rosa, editor da última edição de Colonnese, e a outra por Helcio de Carvalho, diretor da Mythos Editora que foi responsável pela publicação.

Franco de Rosa -Editor
“Morreu nessa madrugada, às 4 horas, o desenhista Eugênio Colonnese, que completaria 79 anos no próximo dia 3 de setembro. O motivo de sua morte foi “falência múltipla de órgãos”.
Colonnese sofreu um desmaio em fevereiro deste ano, quando passava férias com a família de sua filha Liliana, no Guarujá, no litoral paulista. Descobriu-se, então, que ele estava com o pulmão muito debilitado, devido ao intenso consumo de cigarros.
O autor deixa as filhas Liliana, Mônica, Sandra, Valéria e Shane. E os netos René e Graziella.
Após a sua primeira internação hospitalar em fevereiro deste ano, Colonnese realizou uma história em quadrinhos com sua personagem mais conhecida, a vampira Mirza, e outra do Morto do Pântano. Também concluiu a graphic novel A Vida de Chico Xavier, que será lançada em outubro (a editora ainda não foi divulgada).
Nós, da Opera Graphica, que atuamos com muita regularidade nesses últimos anos ao lado desse grande mestre dos quadrinhos brasileiros, com imenso pesar noticiamos tal fato.
O corpo de Colonnese será enterrado no Cemitério da Saudade, em Vila Assunção, no Centro de Santo André/SP, às 10 horas da manhã de sábado, 9 de agosto.”

Helcio de Carvalho – Editor
“Conheci os trabalhos de Eugênio Colonnese quando tinha 7 anos de idade e meu sonho maior era ser desenhista de quadrinhos – meu pai, na época gerente da Gráfica Bentivegna, me levava até o estúdio de arte de Antônio Duarte, que prestava serviços para a gráfica, e lá eu passava o dia estudando desenho com os trabalhos de Colonnese, Ailton Thomaz, Igayara, Jayme Cortez e tantos outros grandes mestres do quadrinho brasileiro.
Tive um primeiro contato pessoal com o artista quando fui trabalhar na Editora Abril. Emocionado por estar diante de um dos ídolos de minha infância, fiz questão de cumprimentá-lo e dizer que ele havia sido um dos responsáveis pela paixão que até hoje sinto por tudo o que diz respeito à nona arte.
Há pouco tempo, tive a felicidade de poder lançar, pela Mythos Editora, uma edição especial de Mirza, sua mais famosa personagem.
Eugênio Colonnese foi se unir a outros grandes artistas brasileiros que já partiram deste mundo, e assim como eles, também se tornou imortal pela força de sua obra.”

abril 10, 2009

…E um Cristo confeitado sai de dento do ovo maravilhoso de chocolate…

Começou ontem. Quem mora em São Paulo – mas tem que estar treinado para isso – percebeu que ontem, as pessoas pareciam loucas e tomadas. Véspera de feriado. Sexta-Feira da Paixão. O dia em que Cristo foi, finalmente, crucificado e poderia ressucitar no Domingo. Claro que a agitação das pessoas a que me refiro não tem a menor relação com a cristandade. Era apenas o dia de “chegar logo em casa, fazer as malas e se mandar para a praia”. Ou: dia de balada.
Conta-se que, diante de uma autoridade romana, Judas ( o Escolhido ) se recusa a denunciar Jesus:
- Jamais poderia fazer isso com Ele, pois Ele veio para salvar seu povo e governar a Humanidade e trazer a felicidade e a glória.
E o romano respondeu:
- Sim, claro. Todos dizem isso, mas na hora que chegam “lá” eles esquecem do povo.
- Mas não Jesus.
- Olhai, apóstolo…não temos tempo para discutir política de boteco. Dize logo onde o suposto “Rei dos Judeus” está, que, em troca, daremos um feriado para as pessoas lembrarem do dia em que seu “Rei” foi condenado e executado.
-“Um feriado”? Oras, que ultraje.
- Veja apóstolo de Jesus. Se não fizerdes isso, Ele jamais poderá ressucitar e o Plano não se realizará.
- Ah, é mesmo! Venham comigo.
E levou-os ao esconderijo de Jesus.
***
Diante da multidão, o romano pergunta:
- Quem deverá ser libertado? Jesus ou Barrabás?
- Matem Barrabás!!!
- Escutai, judeus: se for Cristo o escolhido por vós, a proposta que fizemos a Judas – que ele não aceitou – será feita a vós. Se Cristo perecer, decretaremos um feriado neste dia para que vós lembreis Dele e seu sacrifício.
E a multidão, em uníssono:
- Ôpa, demorô. U-hú.
E mandaram soltar Barrabás.
E seus descendentes ainda têm a cara-de-pau de ir à praia na Sexta-Feira Santa e MALHAR o pobre JUDAS no sábado.

…E um Cristo confeitado sai de dento do ovo maravilhoso de chocolate…

Começou ontem. Quem mora em São Paulo – mas tem que estar treinado para isso – percebeu que ontem, as pessoas pareciam loucas e tomadas. Véspera de feriado. Sexta-Feira da Paixão. O dia em que Cristo foi, finalmente, crucificado e poderia ressucitar no Domingo. Claro que a agitação das pessoas a que me refiro não tem a menor relação com a cristandade. Era apenas o dia de “chegar logo em casa, fazer as malas e se mandar para a praia”. Ou: dia de balada.
Conta-se que, diante de uma autoridade romana, Judas ( o Escolhido ) se recusa a denunciar Jesus:
- Jamais poderia fazer isso com Ele, pois Ele veio para salvar seu povo e governar a Humanidade e trazer a felicidade e a glória.
E o romano respondeu:
- Sim, claro. Todos dizem isso, mas na hora que chegam “lá” eles esquecem do povo.
- Mas não Jesus.
- Olhai, apóstolo…não temos tempo para discutir política de boteco. Dize logo onde o suposto “Rei dos Judeus” está, que, em troca, daremos um feriado para as pessoas lembrarem do dia em que seu “Rei” foi condenado e executado.
-“Um feriado”? Oras, que ultraje.
- Veja apóstolo de Jesus. Se não fizerdes isso, Ele jamais poderá ressucitar e o Plano não se realizará.
- Ah, é mesmo! Venham comigo.
E levou-os ao esconderijo de Jesus.
***
Diante da multidão, o romano pergunta:
- Quem deverá ser libertado? Jesus ou Barrabás?
- Matem Barrabás!!!
- Escutai, judeus: se for Cristo o escolhido por vós, a proposta que fizemos a Judas – que ele não aceitou – será feita a vós. Se Cristo perecer, decretaremos um feriado neste dia para que vós lembreis Dele e seu sacrifício.
E a multidão, em uníssono:
- Ôpa, demorô. U-hú.
E mandaram soltar Barrabás.
E seus descendentes ainda têm a cara-de-pau de ir à praia na Sexta-Feira Santa e MALHAR o pobre JUDAS no sábado.

dezembro 31, 2008

"Jesus, um profeta do Islam" – PDF download – Uma boa oportunidade para conhecer um pouco desta religião

Jesus um Profeta do Islam
Descrição de artigo
Título: Jesus um Profeta do Islam
Língua: Português
Adicionado: Sep 09, 2006
Acessórios do artigo : 1
Descrição sucinta: O objetivo principal do livro Jesus um profeta do Islam, é o de apresentar a posição islâmica a respeito de Jesus, a paz esteja com ele, um dos mas favorecidos Profetas que Deus enviou como guia para as ovelhas perdidas de Casa de Israel.
:
عربيবাংলাاردوЎзбекчаไทยBosanski日本語EspañolEnglishئۇيغۇرچەFrançais中文മലയാളംతెలుగుTürkçe
Ligação : http://www.islamhouse.com/p/2211
http://d1.islamhouse.com/data/pt/ih_books/pt_jesus_prophet_of_islam.pdf

dezembro 15, 2008

Outro Natal de mer***da!!

Filed under: festas religiosas, Jesus Cristo, Natal — Humberto @ 1:56 pm
A coisa é muito simples: este arremedo, este pastiche de Natal que convencionou-se comemorar, nada mais é do que uma prévia do Reveillon. A data é desculpa para as famílias fazerem um Carnaval fora de época, com todo o tipo de excesso possível.
Não, não vou considerar os Natais dos desvalidos, dos miseráveis, etc. pois seria o mesmo que dizer que a data só pode ser “comemorada” quando se tem muita fartura. Oras, quem é miserável durante o ano inteiro não teria muito o que celebrar em uma única data em 365 dias.
Mas isso não é o foco aqui. Eu quero apenas fazer o seguinte: imagine a festa que haverá em sua casa.
Isso, vai pensando: cerveja, pinga, vinho, whisky, vermute, gordura, açúcares, criançada chata chorando e brigando, berraria, PAGODE OU FUNK NO ÚLTIMO VOLUME ( em todas as casas da vizinhança, simultaneamente ), cunhado chavecando a esposa de outro, avô olhando gulosamente a neta de 16 anos que usa – no feriado cristão mais importante, um short de poposuda – berraria, brigas, quebra-paus. Recolhimento? Nenhum.
Claro, tudo pode ser aguentado, pois a hora de abrir os presentes é sagrada.
Celulares para quem não tem o que falar que serão usados em momentos inoportunos, MP3 para ouvir pagodão e axé no busão, vídeogames.
Mas eu não deveria estar reclamando: a felicidade está no ar, basta olhar em volta, o clima de cordialidade, de Paz na Terra. Luzes e lâmpadas. Os belos enfeites nas casas, com motivos natalinos diversos, como Papai Noel e os sinos bimbalhantes. O significado? Perdeu-se nos tempos. Talvez uma origem pagã, ou nórdica, representando, talvez, algum massacre qualquer. Quem se importa com as origens e significados? Outro dia saiu num jornal que por aqui fazem tatuagens com desenhos e simbolos, acho que orientais, não lembro, cujo significado é completamente diferente do pensado. Mas tatuagem pega bem, melhora a nossa imagem, é a maior chinfra. Mesmo que você escreva “Arrombe meu rabo” com ideogramas bacanas que você não entende.
Mas o que me motivou a escrever isto: para quê serve uma competição estúpida, tipo “Quem tem a maior árvore de Natal de todo o mundo? – Esmague a concorrência.”
Jesus – é, caros cristãos, eu tive que lembrar Dele – nasceu em meio a animais fedorentos e estrume, e só foi receber a mitra e aquelas coisas todas em 6 de Janeiro e, tal como fez com aquele camelódromo no Templo, chutaria todas essas porras que a gente vê por aí.
Feliz Carnaval.

abril 17, 2007

Vinde a mim os pequeninos…


… e vá de retro a mendigaida !!!!

Imaginemos que Jesus Cristo em pessoa ( foi mal, foi mal… ) venha visitar nossa humilde cidade.
Quem estaria habilitado a recebê-lo?
Logicamente, seriam as pessoas de destaque de nossa sociedade. Conhecemo-nas pelas colunas sociais.
Nossos escribas, aqueles que acompanham os ungidos pela fortuna, podem ser encontrados nos cadernos de variedades dos jornais. CARAS é hours concours ( é assim que se escreve? )
Joyce Pascovitch, Cesar Giobbi, Barbara Gancia ( Formosura!! ) , Amaury Jr…
E eis que Jesus vem descendo por uma nuvem, pois não precisa de avião. Bom para ele, pois vai saber se não haveria outra greve dos controladores. O Aerolula não sofre. E o JetSerra também, só que deste último pouco se falou.
Cristo estranhará a limpeza da cidade.
Diante das vitrines da Oscar Freire, lembrará dos vendilhões do templo. Sabendo da natureza das atividades empreendidas nos escritórios localizados à av. Paulista, rememorará a traição de Judas Iscariotes que, tomado de culpa, se enforcara após a missão que lhe fora confiada. Se apiedará de Judas Iscariotes.
Deveras exausto da bajulação de atrizes, modelos, socialites, empresários, gestores, políticos, arrivistas e toda a escória que costuma abarrotar este tipo de evento, Jesus se dará conta que não vira nenhum leproso nas ruas, coisa comum na época de sua juventude.
A fina sociedade paulistana acha que o golpe do sumiço, usado na visita do Papa Ratzinger, funcionará também com Jesus Cristo.

Theme: Silver is the New Black. Get a free blog at WordPress.com

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.505 outros seguidores