ENCALHE ( Descontinuado em 05.10.2013 )

agosto 25, 2012

Controladas pelos EUA, agências de notícias uniformizam desinformação

Filed under: WordPress — Tags:, , , , — Humberto @ 7:33 pm

Conglomerados agridem a nossa soberania política e econômica”, alerta vice-presidente da Federação Internacional dos Jornalistas
LEONARDO SEVERO, DE MONTEVIDÉU
“Querem nos manter desunidos, atentando contra nossa soberania política e econômica”, alerta o vice-presidente da Federação Internacional dos Jornalistas, Gustavo Granero
O vice-presidente da Federação Internacional de Jornalistas, Gustavo Granero, defendeu segunda-feira (20), durante Seminário de Comunicação da Confederação Sindical dos Trabalhadores das Américas (CSA), em Montevidéu, o fortalecimento de redes entre as centrais para combater a “uniformização da desinformação realizada pelas agências de notícias em função dos interesses dos Estados Unidos”.
De acordo com Granero, o investimento do movimento sindical nos seus próprios instrumentos e na conformação de redes é essencial para a democratização da comunicação, um debate público que envolve o conjunto dos países da América Latina neste momento, essencial para o aprofundamento da democracia em nossas sociedades e, consequentemente, para a garantia de direitos e avanço das conquistas da classe trabalhadora.
“Há uma reprodução sistemática de notícias dos grupos hegemônicos estadunidenses, das multinacionais e do sistema financeiro, uma coordenação estratégica para reproduzir o mais amplamente possível uma ideologia desinformativa. O objetivo dessa uniformização do discurso é nos manter desunidos, atentando contra a soberania política e econômica dos nossos países, alinhados pela retirada de direitos dos trabalhadores”, acrescentou.
SIP & CIA
Esta ação manipuladora e desagregadora dos grandes conglomerados privados de comunicação em função dos interesses dos Estados Unidos é histórica, esclareceu, tendo ganho maior envergadura com a fundação da Sociedade Interamericana de Prensa (SIP) em 1942. “Um agente da CIA foi o primeiro presidente da SIP. Foi através dela que cometeram os maiores crimes, como a Operação Condor, que prendeu, torturou, assassinou milhares de lutadores sociais. Foi através da SIP que os governos pró-EUA censuraram o continente”, lembrou.
Granero citou o exemplo de seu país, a Argentina, onde os grupos Clarin e La Nación, que controlam os dois principais jornais, fizeram uma aliança e formaram uma agência de notícias onde cada artigo e reportagem tem uma “classificação, com prioridades”. E de que forma conseguiam que os demais veículos – jornais, emissoras de rádio e televisão – reproduzissem este conteúdo, apontado como estratégico para martelar dia e noite determinadas “verdades”? “Ao reproduzir as notícias prioritárias, os meios de comunicação ganhavam um abono, um desconto no valor que tinham de pagar. Se era um jornal, como tinham o monopólio do papel, garantiam um preço mais barato. São instrumentos que utilizaram para padronizar a informação”, disse.
Em contraposição à lógica da alienação para o cifrão, vários governos nacionalistas, democráticos e populares, estão promovendo debates e estimulando processos para que o conjunto da sociedade se aproprie do tema. “Naturalmente, os donos da mídia apontam estes processos de democratização, como na Argentina e no Equador, como ataques à liberdade de expressão, pois atinge em cheio aos seus interesses. Daí a relevância e a necessidade de maior envolvimento do conjunto dos movimentos sindical e social para estimular o avanço e impedir o retrocesso”, ressaltou. ( HORA DO POVO )

Procuradora depõe e relata a proximidade entre Policarpo da Veja e o chefe do crime organizado

Em depoimento na terça-feira à CPMI do Cachoeira, a procuradora da República que trabalhou na Operação Monte Carlo, Lea Batista, confirmou a proximidade encontrada entre o redator-chefe da Veja, Policarpo Jr, e Cachoeira.
HORA DO POVO
Procuradora confirma que investigações indicaram proximidade de Policarpo com Carlinhos Cachoeira
Em depoimento na terça-feira (21) à CPMI do Cachoeira, procuradores disseram que a “máfia” tinha proximidade com Policarpo Júnior, diretor e chefe da sucursal da revista Veja em Brasília. A procuradora da República que trabalhou na Operação Monte Carlo, Lea Batista, confirmou que as investigações sobre a organização criminosa apontaram a proximidade entre ele e o chefe da quadrilha. “As investigações indicam alguma proximidade sim”, disse ela. “Indicam vários contatos do chefe da organização com o jornalista”, acrescentou.
Os procuradores da República em Goiás, Léa Batista de Oliveira e Daniel Rezende, reafirmaram que a organização criminosa tem caráter mafioso e cooptou agentes do Estado para manter suas atividades. “O certo é que a operação revelou uma máfia, uma sociedade bem estruturada, mais lucrativa que uma grande empresa. Um grupo profissionalizado, estável, permanente e habitual, montado para o cometimento de crimes de natureza grave. A sua existência por mais de uma década foi suficiente para montar uma estrutura estável e entranhada no seio do Estado”, disse Léa Batista.
“Uma organização criminosa armada, complexa e com característica mafiosa. O principal traço dessa organização é o código do silêncio orquestrado. A postura dessa organização criminosa, decorrente de um código de silêncio, é típico das organizações criminosas com objetivo de escudar a organização e seus membros. O código está bem claro aqui na CPI e na Justiça Federal”’, acrescentou a procuradora.
Léa Batista relatou também que foi vítima de algumas tentativas de intimidação e indicou que apenas ações de repressão aos lucros da organização criminosa poderão desmantelar a quadrilha.
A procuradora disse que recebeu e-mails anônimos com ameaças e que, no fim do mês passado, uma mulher tentou entrar no apartamento dela às 5h45m, mas foi barrada pelo porteiro do prédio. Além disso, ainda segundo a procuradora, o carro que ela usa foi marcado com tinta spray, levantando a suspeita de que poderia ser alvo de um atentado.

Wikileaks: Diogo Mainardi, da Veja, era “informante” da embaixada americana e vislumbrava “chapa dos sonhos” Serra-Marina Silva em 2010

Filed under: WordPress — Tags:, , , , — Humberto @ 7:12 pm

WikiLeaks revela Diogo Mainardi como fonte para o consulado dos EUA
Documento vazado pelo WikiLeaks revela que Diogo Mainardi, colunista da Veja, e Merval Pereira, colunista de O Globo, serviram de fonte política para o cônsul dos EUA no Rio de Janeiro durante as eleições de 2010.
De acordo com o documento, Mainardi escreveu uma coluna para a revista propondo a chapa Serra-Marina após almoço com o então pré-candidato à presidência, José Serra (PSDB), no dia 12 de janeiro de 2010. Durante a conversa, o tucano teria dito que Marina Silva seria “a companheira de chapa dos sonhos”. À época, ainda se especulava qual seria o candidato à vice-presidência junto com Serra e o nome da candidata do PV e de Aécio Neves (PSDB) eram especulados.
Ainda segundo o documento, intitulado “Telegrama 10RIODEJANEIRO32″, o colunista do jornal O Globo se reuniu com o cônsul no dia 21 de janeiro de 2010, quando disse ter tido uma conversa na véspera com Aécio Neves, que disse estar “firmemente comprometido” a ajudar Serra, inclusive integrando sua chapa.
Segundo Rodrigo Vianna em seu blog Escrivinhador, o documento foi enviado com exclusividade para um grupo de blogs.  
Trechos do documento vazado pelo WikiLeaks
24) CABLEGATE DE HEARNE
246840/ 2/2/2010 19:13/ 10RIODEJANEIRO32/ Consulate Rio De Janeiro/ NCLASSIFIED//FOR OFFICIAL USE ONLY
Excertos dos itens “não classificados/para uso exclusivamente oficial” do telegrama 10RIODEJANEIRO32.
A íntegra do telegrama não está disponível.
ASSUNTO: Ideias sobre possíveis candidatos a vice-presidente para José Serra
RESUMO. 1. (SBU) Observadores políticos e atores do PSDB no país entendem que há possibilidade de candidato do PSDB à presidência (na dianteira, nas pesquisas de intenção de voto) convidar a candidata Marina Silva, do Partido Verde, para sua chapa, como vice-presidente. Embora pareça pouco provável, nesse ponto, que Marina Silva aceite esse papel, muitos creem que, pelo menos, ela apoiará Serra num eventual segundo turno contra a candidata do PT Dilma Rousseff. Apesar de a hipótese Marina não estar descartada, analistas do PSDB veem, como cenário mais provável, que o governador de Minas Gerais, Aecio Neves (PSDB) venha a completar a chapa com Serra, como candidato à vice-presidência, apesar de Neves já ter declarado publicamente que concorrerá ao Senado. Mas, com a vantagem de Serra encolhendo nas pesquisas recentes, ressurge a especulação de que Serra possa renunciar a favor de Neves como candidato do PSDB. Até aqui, Serra é o candidato mais provável, e muitos dos nossos interlocutores declararam que uma chapa Serra-Neves seria o melhor caminho para Serra enfrentar com chances de sucesso os esforços do presidente para traduzir sua popularidade pessoal em votos para Dilma Rousseff, na sucessão. FIM DO RESUMO.
NO RIO, ANALISTAS DISCUTEM ALTERNATIVAS PARA A VICE-PRESIDÊNCIA
2. (SBU) Em almoço privado dia 12 de janeiro, o importante colunista político da revista Veja Diogo Mainardi disse ao cônsul dos EUA no Rio de Janeiro que a recente coluna [de Mainardi] na qual propõe o nome de Marina Silva como vice-presidente na chapa de Serra foi baseada em conversa entre Serra e Mainardi, na qual Serra dissera que Marina Silva seria a “companheira de chapa de seus sonhos”.
Naquela conversa com Mainardi, Serra expôs as mesmas vantagens que, depois, Mainardi listou em sua coluna: a história de vida de Marina e as impecáveis credenciais de militante da esquerda, que contrabalançariam a atração pessoal que Lula exerce sobre os pobres no Brasil, e poriam Dilma Rouseff (PT) em desvantagem na esquerda, ao mesmo tempo em que ajudariam Serra a superar o peso da associação com o governo de Fernando Henrique Cardoso que Dilma espera usar como ponto de lança de ataque em sua campanha. Apesar disso, Mainardi não acredita que Marina associe-se a Serra, porque está interessada em fixar sua própria credibilidade, concorrendo, ela mesma, à presidência. Mas Mainardi disse que crê – como também Serra – que Marina Silva pode bem vir a apoiar Serra num eventual segundo turno contra Dilma.
3. (SBU) Em plano mais realista, Mainardi disse ao cônsul que o governador de Minas Gerais Aecio Neves dissera a Mainardi, no início desse mês, que Neves permanecia “completamente aberto” à possibilidade de concorrer como candidato a vice, na chapa de José Serra. (Nota: Dia 17/12/2009, Neves declarou oficialmente encerrada a discussão sobre sua pré-candidatura à presidência e mostrou interessem em concorrer como vice-presidente [referido em outro telegrama. FIM DA NOTA).
Apesar das declarações públicas de que concorrerá ao Senado, Mainardi disse que Neves planeja esperar um cenário no qual o PSDB, talvez à altura do mês de março, convide Neves para compor a chapa, com vistas a aumentar a chance do partido contra Dilma. As ambições pessoais de Neves e seu desejo, intimamente ligado àquelas ambições, de não atrapalhar o PSDB nas próximas eleições, levariam Neves a compor a chapa, ao lado de Serra – na opinião de Mainardi.É a mesma opinião de Merval Pereira, colunista do jornal O Globo, o maior do Rio de Janeiro, que se reuniu com o Cônsul dia 21/1. Pereira disse ao cônsul que tivera uma conversa com Neves na véspera, na qual Neves dissera estar “firmemente comprometido” a ajudar Serra fosse como fosse, inclusive como vice-presidente, na mesma chapa.
Na opinião de Merval Pereira, uma chapa Serra-Neves venceria. Pereira disse também acreditar que não só Neves aceitará a vice-presidente de Serra, mas, também, que Marina Silva também apoiaria Serra num eventual segundo turno (…). ( PORTAL IMPRENSA )

Planos da polícia britânica para detenção de Julian Assange acidentalmente revelados

Filed under: WordPress — Tags:, , — Humberto @ 6:36 pm

A polícia britânica permitiu acidentalmente que os seus planos para a detenção de Julian Assange fossem fotografados, tendo, este sábado, sido publicadas as notas de um agente na imprensa local.
Um fotógrafo da Press Association capturou na sexta-feira imagens de um documento que um polícia, que estava à porta da embaixada do Equador em Londres, onde Assange, de 41 anos, procurou asilo, tinha na mão e em que era possível ler “confidencial” e “decisões”.
O documento referia que a polícia britânica pretende deter o fundador do WikiLeaks “sob todas as circunstâncias” quando este sair da embaixada no centro de Londres.
Um porta-voz da Scotland Yard explicou depois que “o documento consistia em notas de um agente tiradas numa reunião”.
“O nosso objetivo é deter Julian Assange e, em nenhuma circunstância, será feita qualquer detenção que viole a imunidade diplomática”, acrescentou.
Assange está na embaixada do Equador em Londres desde 19 de junho para evitar a extradição para a Suécia por alegados crimes sexuais, tendo pedido asilo, que Quito concedeu. ( JN )

Em apoio a palestinos: igrejas canadenses se unem em boicote a produtos israelenses

Filed under: WordPress — Tags:, , , — Humberto @ 6:29 pm

Igrejas do Canadá se unem para boicotar produtos israelenses em apoio dos cristãos palestinos
A Igreja Unida do Canadá aprovou na semana passada um boicote a todos os produtos fabricados na disputa entre territórios israelenses e palestinos em protesto contra os assentamentos israelenses supostamente indo para o território palestino.
A recomendação foi aprovada em 15 de agosto pelo conselho geral da igreja em Ottawa, depois de um evento de oito dias, que incluiu mais de 350 delegados.
Bruce Gregersen, Diretor Geral Conselho da UCC, compartilhou com o The Christian Post algumas informações sobre a situação, revelando que a história de engajamento da Igreja Unida com a região remonta ao final dos anos 1940, quando um moderador passado da igreja era um médico-missionário em Gaza.
“Desde então, temos aprofundado o nosso relacionamento com os parceiros da região, incluindo os dois grupos israelenses e palestinos”, disse Gregersen. “No entanto, nós nos relacionamos mais diretamente com os cristãos palestinos. Eles pediram que os cristãos ao redor do mundo os apoiassem no boicote dos produtos da ocupação.”
O Diretor Conselho Geral observou que a UCC está se concentrando em boicotar os produtos que tenham sido produzidos em supostos assentamentos ilegais no território disputado. É parte de uma iniciativa maior, onde um número de grupos considerou ou está pensando em entrar no boicote, incluindo a Metodista Unida, a Igreja Presbiteriana (EUA), a Igreja Metodista britânica, e uma série de grupos judaicos sionistas liberais.
Em um comunicado, os canadenses de Justiça e Paz no Oriente Médio revelou que a proposta de boicote “passou por uma ampla margem, refletindo o amplo apoio dentro da igreja para direitos humanos palestinos”. Ela também reconheceu que a decisão “também reconheceu a ocupação israelense de 45 anos como o principal contribuinte para a injustiça que sustenta a violência na região e apelou a Israel para desmantelar as suas colônias e o seu muro.” [ grifo deste blog ]
A organização acrescentou que eles esperam que esta resolução force Israel a respeitar o direito internacional ao invés de avançar com os assentamentos.
“Nossa pequena ação não é susceptível de ser significativa. O que vai fazer a diferença é a opinião pública generalizada. Isso está mudando”, Gregersen continuou a CP.
Ele admitiu que a questão Palestina-Israel tem muitas conotações políticas, mas que está relacionada a questões morais e religiosas que a igreja se sente inclinada a abordar.
“Os cristãos palestinos pediram-nos para agir, porque eles estão profundamente preocupados com a justiça para todas as pessoas da região”, salientou Gregersen. “Eles estão preocupados que a ocupação e os assentamentos são prejudiciais tanto para israelenses e palestinos. Eles também veem muitos aspectos religiosos para a situação com sionistas cristãos apoiando os assentamentos e se envolvendo em pressão política significativa para mantê-los.”
Grupos pró-Israel reagiram com acusações de anti-semitismo sobre a decisão, dizendo que o boicote da UCC só aumenta as tensões no conflito do Oriente Médio.
“Isso distingue Israel de uma maneira que é tão fundamentalmente inútil”, disse o Centro de Israel e Assuntos judaica CEO Shimon Fogel. “Ao realizar esta ação, a Igreja Unida tem absolutamente se desqualificado de desempenhar um papel construtivo na promoção da paz e da reconciliação entre israelenses e palestinos.”
A Igreja Unida do Canadá continua a ser a maior denominação protestante no Canadá, com mais de 3 milhões de membros. ( Christian Post )

Theme: Silver is the New Black. Get a free blog at WordPress.com

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.505 outros seguidores